Buscar
  • ADVOGADO CRIMINAL

Cliente é absolvido por acusação de Roubo

Juliano XXXX, acusado de, em companhia de outro homem, ter assaltado uma mulher para subtrair-lhe uma bolsa que continha dinheiro, documentos pessoais e diversos objetos, entre os quais um telefone celular, foi absolvido pela 4.ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, sob o fundamento de que não há, nos autos, provas suficientes para comprovar a autoria delitiva, ou seja, para indicar com precisão a pessoa que cometeu o crime.


Ao caso foram aplicados os princípios da presunção da inocência e do in dubio pro reo.

Juliano havia sido condenado, em 1.º grau, nos termos da denúncia oferecida pelo Ministério Público, à pena de 5 anos e 4 meses de reclusão e ao pagamento de 13 dias-multa pela prática do crime de roubo, tipificado no art. 157, § 2.º, incisos I e II, do Código Penal.


O relator do recurso de apelação, juiz substituto em 2º grau Wellington Moura, consignou em seu voto:


"Da análise dos autos, como acertadamente concluiu a Procuradoria-Geral de Justiça, não é possível confirmar o decreto condenatório emitido contra o apelante, porque o acervo probatório deixa dúvidas intransponíveis acerca da autoria delitiva".


Veja todo o material defensivo elaborado por nossa Banca Criminal:


www.seucriminalista.com




0 visualização0 comentário